Solares

Conta de luz terá aumento para cobrir déficit da bandeira tarifária

ANEEL decidiu que vai cobrar R$ 3,1 bilhões a mais dos consumidores brasileiros neste ano

Além da pandemia de Covid-19, os brasileiros terão neste ano mais um desafio pela frente: o aumento no valor da conta de luz. Isso porque, para cobrir o déficit na arrecadação da bandeira tarifária do ano passado, a ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) informou que vai cobrar R$ 3,1 bilhões a mais dos consumidores de energia elétrica.

Criado há seis anos, a bandeira tarifária é um sistema que aplica uma cobrança adicional nas contas de luz sempre que ocorre um aumento do custo da produção de energia no país. O objetivo é fazer com que o acréscimo pague o uso mais intenso das usinas termelétricas.

O déficit de 2020 ocorreu porque a cobrança da bandeira tarifária ficou seis meses suspensa por decisão da ANEEL. A agência entendeu que havia necessidade de amenizar os impactos econômicos da população naquele momento. Dos R$ 4,45 bilhões que deveriam ser acobertados com a bandeira tarifaria no ano passado, apenas R$ 1,33 bilhão foram arrecadados. A cobrança foi retomada em dezembro.

“Quando se tem um impacto econômico muito grande, o Governo Federal e seus demais órgãos sempre criam uma solução temporária para amenizar o sofrimento das pessoas. Só que isso, funciona como uma espécie de empréstimo, em que aquele capital que foi injetado vai ser pago depois pela população a longo prazo”, explica Bernardo Marangon, diretor da empresa Exata Energia e especialista em engenharia elétrica.

Ele destacou também não ver má intenção da ANEEL em decidir cobrar o valor dos consumidores já no ano de 2021. “Eu acredito que faz parte de um processo no qual se buscou politicas para amenizar o impacto daquele momento. Contudo, na medida em que o tempo passa e a economia se recupera, é natural que nós como contribuintes paguemos essa conta, que, de qualquer forma, deveria ter sido paga no ano passado”, frisou.

Fonte: https://canalsolar.com.br/conta-de-luz-tera-aumento-para-cobrir-deficit-da-bandeira-tarifaria/